O clima de campanha eleitoral deixa a gente meio na dúvida, mas eu estive coletando provas irrefutáveis (ou, talvez, ao menos bons indícios) de que as pessoas são boas. Por exemplo: quando uma família endividada participa de uma prova num programa de TV, as pessoas torcem para a família levar o prêmio em dinheiro e ainda ganhar um caminhão cheio de produtos de limpeza. Toda vez que uma criança de dois anos estende uma xícara de brinquedo para as pessoas, elas bebem tudinho e elogiam o café, mesmo a xícara estando vazia. Quando alguém espirra, as pessoas dizem “saúde”. E se ele continua espirrando, as pessoas dizem: “Puxa, a gripe te pegou mesmo”. Quando tem um acidente de avião na Malásia, as pessoas todas ficam muito comovidas, ainda que nunca tenham estado na Malásia. Quando aparece no jornal dois irmãos que se reuniram depois de muitos anos, as pessoas ficam muito contentes e comentam sobre isso, no trabalho, no dia seguinte.

Se veem um Golden retriever na rua, as pessoas percebem que ele está sorrindo para elas e sorriem de volta. Quando alguém faz um post contando que foi aprovado no vestibular, as pessoas sempre curtem. As pessoas não gostam do ator que faz o vilão da novela, apesar de estarem cientes de que é tudo mentirinha. Assistindo o Animal Planet, as pessoas torcem desesperadamente para a zebra correr mais do que o leão. Nas savanas, nem sempre a presa leva a melhor, mas quando isso acontece, e é filmado, e é transmitido num canal de assinatura que faz parte do pacote das pessoas e, se elas estiverem em casa, e assistindo TV, prestando atenção no programa e sem se distrair com o celular bem na hora em que a zebra se livra de seu predador, então, no segundo em que veem isso, as pessoas são boas, sim.

*Originalmente postado no sabrinaabreu.com.br

 

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Cultura / Radar'