Talvez por vivermos em uma sociedade cosmopolita, onde o look nosso de cada dia carrega um pouquinho de várias ideias e culturas, algumas marcas que participaram da 13ª edição do Minas Trend resolveram apostar no mood étnico chique. Tendência perfeita para enfrentar os desafios do dia-a-dia com muita elegância, contemporaneidade e, por que não, com pinceladas de ousadia?

Uma das grifes que se jogou na ideia foi a mineira GIG, especialista em fazer lindos trabalhos em jacquard de tricô. Para o próximo inverno, a ideia foi misturar o frescor dos anos 80 com desenhos que lembram estampas africanas. “Buscamos a força das cores e a diversidades desses traços para fazer uma coleção moderna”, explica Renata Oliveira, gerente de marketing.

Já a Faven, também mineira e especialista em tricô, buscou sua inspiração na Turquia, país, aliás, que está super em voga. Natália Pessoa, estilista da marca, explica o processo: “fiz uma viagem para esse país e vi livros com fotos de lindos tapetes milenares. Não resisti e criei a partir dessa inspiração”. Na coleção, trabalhos de jacquard de tricô, com fios de lurex, são o destaque.

E não é apenas as roupas que estão nesse embalo étnico. As bijuterias também ganham espaço nesse cenário e trazem ótimas propostas. É o que conta Rosane Schiochet, diretora comercial InBits, marca de acessórios carioca que participa pela primeira vez do Minas Trend. “Nossa coleção usou muito o metal envelhecido, franjas e a força das pedras. Uma mistura de referências étnicas para a mulher moderna”, afirma.

VEJA TAMBÉM: A moda festa fez sucesso no Minas Trend!

Se você curte a tendência, mas está com medo de arriscar, uma dica: misture sempre uma peça étnica com outra neutra. Assim, você garante um produção com personalidade. Vale conjugar saia com estampa marcante com uma atemporal camisa branca. O resultado fica atual e sofisticado. Vai encarar?

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Minas Trend / Moda'