Paris, Paris! A cidade cheira liberdade, desde que você respeite todas as suas regrinhas (milhares). É lá onde os loucos andam livremente, onde as moças andam descabeladas e com as unhas por fazer e, mesmo assim, conseguem ser as mais charmosas e lindas do mundo inteiro. Paris, Paris! Respire cinema em suas estações de metrô, ou mesmo quando você distraidamente se perde em um roteiro sendo protagonista de uma de suas memoráveis cenas cotidianas.

Comer em Paris é fácil? Eu pensava que sim, mas não é. Para começar, os Parisienses, ao contrário do resto do mundo, ignoram o inglês como segunda língua em seus cardápios (aí o leitor que fala francês desde os dois anos de idade está falando que se lixa para isso, tal qual os franceses se lixam para que eu não entenda nada de seu cardápio). E apontando a esmo para um que dizia beef, pedisse um paté (gigante) de carne crua. Ok, era um dos pratos do dia e era horrível e quando ele chegou eu falei com a Laís: cala a boca e vamos jantar em silêncio. Ela passou o jantar inteiro tendo cólicas de riso enquanto devorava seu tartár de Salmão.

Então, um lindo dia, o Rodrigo Lavalle, que é o especialista mor dessa cidade linda que é Paris, nos levou para jantar. O meu xará ainda vai ganhar uma super matéria aqui no Fashionistando, pois é digno de tal! Figura sensacional, logo nos levou para um lugar lindo e maravilhoso que servia muita comida deliciosa e que estava envolto na atmosfera noir de um filme francês chamado Hôtel du Nord, que dizem ter sido filmado lá. E se não foi, no meu jantar ficou sendo, pois é assim que tem que ser.

Luzes baixas vindas de velinhas, livros, muito vermelho e romantismo no ar embalam uma noite com músicas agradabilíssimas. E tudo fica ainda mais fantástico quando o garçom, Júlio, nos confessa que é brasileiro e em bom e audível português, destrincha o cardápio.

Vá de pato! Vá de pato e pronto! A costeleta de porco estava deliciosa, mas havia mais gordura que carne, então vou ser obrigado a não recomendar. Tome um vinho delicioso e se deixe embalar por um jantar lento, entre bate papos interessantes, até, por fim, se entregar à sobremesa divina: um cremè brûlée e/ou uma tortinha de limão, que serão capazes de fazer você mais feliz. A tortinha de limão estava docinha demais, faltou o azedinho da vida, mas estava divina também.

A conta não assusta, sobretudo depois de ser o ator principal do filme de sua própria vida, em Paris, em pleno Hôtel du Nord! Média de € 65 por casal.

 

[nggallery id=5 template=galleryview images=0]
 

Onde fica o Restaurante Hotel du Nord?
102, Quai de Jemmapes
District: 10ème – Gare du Nord – Gare de l’Est
Métro: République
Tel.: 0140407878

8 Respostas para “Restaurante Hotel du Nord em Paris”

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Gastronomia / Turista'