Esta matéria promete fazer você rever alguns conceitos. Muitas coisas são assimiladas por nós através do senso comum e ganham status de boas ou ruins para a saúde. Alguém aí já ouviu falar que o peito de peru não é um alimento chave para sua dieta? Sempre que pensamos em começar um novo cardápio, mais light, este é um dos itens mais presentes, principalmente como opção para o café da manhã.

Entretanto, o nutricionista Vinícius Augusto, especialista em nutrição esportiva, dividiu com a gente que este alimento não é o “salvador da pátria”. Você vai se surpreender! Vamos começar descrevendo os ingredientes do peito de peru, que é considerado o mais “saudável” dentre os chamados “produtos embutidos” ou “presuntos lights”:

Blanquet de peru light: peito de peru, água, fécula de mandioca, maltodextrina, sal, proteína de soja, regulador de acidez lactato de sódio, aromas naturais, aromas naturais de pimenta preta, vermelha e branca, aroma natural de fumaça, estabilizantes tripolifosfato de sódio e polifosfato de sódio, antioxidante eritorbato de sódio, realçador de sabor glutamato monossódico, conservador nitrito de sódio, corante carmim.

Afinal, o que estamos comendo? Peru ou um mix artificial? Tudo nos faz acreditar que estamos fazendo uma escolha saudável ao optar por esse produto. Afinal de contas, o peito de peru, em sua forma natural, é uma proteína de alto valor biológico. Porém, a maioria desconhece os malefícios de algumas substâncias adicionadas ao produto. Com a finalidade de conservar, acentuar a cor, melhorar o sabor, odor, consistência e textura, substâncias, algumas delas tóxicas, outras simplesmente de baixo valor nutricional, são utilizadas. Daí não há vantagem alguma em seu consumo!

Um exemplo é o nitrito, que é transformado em compostos chamados nitrosaminas e nitrosamidas, com potencial carcinogênico, mutagênico e teratogênico. Isso significa que esse composto pode contribuir com alteração e destruição de componentes genéticos, estimulando a mutação celular e a formação do câncer.

Além disso, a alta concentração de sódio nos produtos embutidos faz dele um inimigo para a hipertensão, diabetes e câncer, entre outras doenças crônicas. Um dado mais alarmante é que análises desses produtos consumidos no Brasil demonstraram uma quantidade de nitrito em embutidos superior ao permitido pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Somos um país tropical e o clima quente favorece a decomposição mais rápida do produto, o que leva os fabricantes a abusarem nas dosagens.

Recomendações mínimas de ingestão deste produtos não existem. Sendo assim, as principais agências internacionais preconizam evitar seu consumo. A grande pergunta que fica é: por que alguns profissionais continuam orientando o peito de peru como parte de uma dieta saudável e como as agências de vigilância sanitária permitem o uso dessa substância tóxica até hoje? Por que ainda tantos profissionais de saúde indicam sua utilização? O nutricionista Vinícius indica a substituição do peito de peru por proteínas de alto valor biológico (boa qualidade) sem conservantes, muito sódio, etc. Exemplos? Frango, atum, ovo e clara de ovo!

Nossa dica: reveja sua alimentação! Existem muitas coisas que aparentemente não comprometem sua dieta, mas colocam sua saúde em risco. E a saúde é o principal objetivo de se ter uma vida regrada, não é?

Será que vale trocar o teor de gordura por uma elevada quantidade de sódio e conservantes? Essa análise só pode ser feita por um profissional de nutrição. Procure ajuda e viva uma vida equilibrada e saudável.

 

Quer entrar em contato com o Vinícius? Basta visitar o site www.nuthree.com.br
ou escrever para viniciusaos@yahoo.com.br

8 Respostas para “Peito de peru: Vilão para sua saúde!”

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Beleza / Saúde'