As grandes marcas mineiras estão em alvoroço! Afinal, faltam apenas nove dias para o Minas Trend Preview começar. O evento é considerado o maior encontro de pré-lançamentos de moda do Brasil e movimenta muita grana e muita gente: estilistas, compradores, jornalistas e por aí vai.

E uma das grifes que merece destaque e um olhar especial durante a semana de moda mineira é a Patogê. A marca está no mercado há mais de 20 anos. Mas, de uns tempos pra cá, ela se consolidou como uma das principais empresas especializadas em jeanswear do estado. Além disso, a Patogê vem conquistando, cada vez mais, uma importante projeção nacional. Prova disso é que recentemente a grife precisou expandir seus negócios e instalar um showroom também em São Paulo.

Para dar continuidade a nossa série de reportagens sobre o jeans produzido em Minas Gerais, visitamos o grande – e lindo – showroom da Patogê, instalado no Gutierrez, bairro nobre de Belo Horizonte. Quem nos recebeu foi Patrícia Dias Castro, sócia e diretora comercial da marca.

Durante a conversa, descobrimos que o grande diferencial da Patogê está no fato de ser uma empresa que oferece a pronta-entrega para os lojistas, isto é, as lojas que revendem as peças da marca não precisam fazer um pedido meses antes do lançamento para terem o produto em suas prateleiras. As peças já estão prontas, com grade completa (várias numerações) e devidamente estocadas. O fato de ser pronta-entrega facilita muito a vida das multimarcas. Mas, ao mesmo tempo, exige da empresa produtora de moda um grande feeling e experiência de mercado.

E experiência é o que não falta para a Patogê. Para quem não sabe, a grife começou com uma loja no Barro Preto, bairro de Belo Horizonte que reúne muitas marcas especializadas em pronta-entrega. A empresa atendia apenas vendedoras autônomas, isto é, as clássicas sacoleiras. No entanto, a Patogê se destacava, pois oferecia um produto diferenciado. Isso fez com que lojistas começassem a procurar a grife para revenderem em suas multimarcas.

A partir deste momento, a Patogê precisou se posicionar e fazer sua escolha: vamos continuar atendendo as sacoleiras ou vamos ampliar e trabalhar apenas com os lojistas. “Estávamos em uma encruzilhada, precisamos escolher qual mercado iriamos atender. Ficar com os dois era impossível”, explica Patrícia. E a grife escolheu investir nos lojistas por questões evidentes. “Buscávamos um posicionamento de marca e queríamos aumentar o volume de vendas”, diz.

Após tomar esta decisão, a marca também precisou mudar de endereço. A Patogê saiu do Barro Preto e abriu um showroom no Prado, bairro onde estão instaladas as principais marcas da capital mineira. “A Patogê foi uma das primeiras empresas de jeanswear que chegou ao Prado. Chegamos para desbravar, com a proposta de fazer jeans e moda”, declara Patrícia.

Atualmente, em períodos de lançamento, o showroom chega a receber até 60 clientes em um só dia, todos com horários agendados. Para atender a esta demanda, a fábrica da grife produz, em média, 115 mil peças por coleção.

[nggallery id=29 template=galleryview images=0]

>> Continua

 

38 Respostas para “Jeans das Gerais: Patogê”

  1. Enisa Rodrigues de Oliveira mrad

    trabalho na pbh de belo horizonte, tenho uma fonte de renda pequena estou terminando minha faculdade de Serviço Social. Preciso acrescentar uma renda para pagar minha escola e demais despesas. Como conheço muitas pessoas e marca patogê tem grande relevancia no mercado de consumo de calça jans principalmente entre as mulheres, estava querendo tentar essa oportunidade. No mais agradeço e agardo um retorno.11/12/2014

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Moda / Tendências'