O verão está quase chegando. E junto com a contagem regressiva para os dias de sol, também vem o desespero: muita gente quer recuperar o tempo perdido nos últimos meses para malhar em dobro e, assim, tentar conquistar um “corpo perfeito” para vestir o biquíni.

Nosso principal conselho é: se ame, se aceite, se respeite e, principalmente, não se deixe levar pelas imagens do instagram. Por lá, muita coisa é falsa e aquela blogueira que você tanto admira, talvez não seja exatamente como está na foto, viu?

Mas, se você é do tipo que faz exercícios principalmente pensando na sua saúde e bem estar, este post é para você! Conversamos com o nutricionista Felipe Hadad e fizemos aquela clássica pergunta: O que comer antes do treino?

Ele tirou nossas dúvidas e ainda trouxe dicas essenciais para que você fuja do “ProjetoVerão” e entre de vez no “ProjetoVida”. Isso mesmo: a ideia é que seu dia-a-dia seja saudável sempre. Sem neuras, claro. Mas, buscando equilíbrio e qualidade de vida. Vamos conferir?

QUEM TREINA DE MANHÃ DEVE COMER O QUÊ?

O principal ponto que costuma ser motivo de muitos erros na refeição pré-treino é quanto tempo antes essa refeição será feita. “Uma pessoa que treina, por exemplo, pouco tempo depois de acordar e tem como objetivo o ganho de massa magra, deveria priorizar alimentos de digestão mais rápida”, explica Felipe Hadad.

O nutricionista sugere: pós-proteicos como o whey protein, frutas ou polpas de frutas e sucos integrais. Ele ainda reforça que, nesta situação, também deve ser pensado um consumo mais elevado de carboidratos complexos na última refeição do dia anterior.

healthy-food

QUEM TREINA EM OUTROS PERÍODOS DO DIA?

A sugestão do nutricionista é que você realize uma refeição sólida cerca de 90 a 120 min antes da musculação, utilizando carboidratos complexos como mandioca, batata doce, aveia misturada com alguma fruta, amaranto, pão integral e proteínas como ovos, carnes, derivados do leite etc.

DESEJA REDUZIR GORDURA CORPORAL?

“Em tese, no que diz respeito aos macronutrientes, a pessoa que deseja reduzir a gordura corporal apenas deveria ingerir os alimentos citados acima em menor quantidade (em relação a quem busca hipertrofia). Neste caso, além de uma dieta menos calórica, é importante pensar em todas as alterações fisiológicas causadas pela presença da gordura, afinal de contas, já se sabe atualmente que a gordura se comporta como uma glândula endócrina e pode causar um desequilíbrio metabólico considerável”.

Felipe ainda ressalta que “perda de gordura e ganho de massa muscular são processos que não giram apenas em torno de calculo calórico e distribuição de carboidratos, proteínas e gorduras ao longo do dia”.

Mas, não existe uma fórmula pronta. Cada indivíduo possui suas particularidades e, somente visitando um nutricionista e realizando os exames solicitados, você poderá encontrar a alimentação ideal para as suas necessidades.

“Para estabelecer um pré-treino que vá favorecer as adaptações geradas pelo treinamento, precisamos considerar tanto o objetivo de cada um, até peculiaridades como a qualidade do sono, eventuais problemas de saúde, principais queixas relacionadas à qualidade de vida, medicamentos utilizados, a modalidade do treinamento, dentre outros. A partir daí identificamos o metabolismo que estamos lidando. É preciso compreender as individualidades de cada um”, afirma.

E o nutricionista finaliza reforçando: “o consumo de água é ingrediente fundamental para que ocorra tanto perda de gordura, quanto ganho de massa magra”. Segundo trabalho publicado pelo laboratório de performance humana da Universidade do Arkansas, é necessário que tenhamos vontade de urinar pelo menos duas vezes para cada litro de água que ingerimos. “Neste caso, se a pessoa bebe 2 litros de água por dia, deve ir ao banheiro quatro vezes, por exemplo”, finaliza o nutricionista.

Siga o instagram do nutricionista Felipe Hadad

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Beleza / Saúde'