Toda mulher se preocupa com o corpo, com a beleza e, consequentemente, com o que coloca na boca. Até quem diz que não se preocupa com nada disso, de vez em quando pensa em mudar alguma coisa em si mesma, nem que seja retirar uma pinta.

Há alguns dias, a loja de roupas Marisa lançou um comercial em que uma mulher agradece à dieta por conseguir ficar bem com seu corpo para o verão. Depois disso, muitas mulheres (e homens) vestiram a camisa do politicamente correto para acusar, através da internet e das redes sociais, a marca de vender um padrão de beleza, incentivar a anorexia e, ainda, enaltecer o machismo. Pessoalmente, acredito que o vídeo nada mais é que um espelho do que a sociedade vem vivendo: uma busca constante por hábitos mais benéficos, afim de manter o corpo saudável.

Em momento algum percebi no texto algo que reflita machismo, já que o mesmo deixa claro que a mulher está feliz por se sentir bem e não por causa de homem algum. Aliás, os únicos homens que aparecem no vídeo estão apreciando a mulher que anda pela piscina confiante porque se sente bem. Não há nenhuma mulher no mundo que possa dizer que não gosta disso, não é verdade? Se sentir bem e chamar a atenção por isso.

Quanto à anorexia, onde está dizendo que você deve deixar de comer para ficar magra? Ou que deve vomitar tudo o que comeu?  O que está descrito são as opções saudáveis escolhidas pela mulher para se alimentar. Saudáveis, não inexistentes. Sacrifícios, talvez, mas nada no vídeo deixou claro que foi realmente um sacrifício e seja preciso desenvolver um distúrbio alimentar para emagrecer.

A Marisa aponta um padrão de beleza neste comercial? Sim. Mas não consegui enxergar nada diferente do que é constantemente divulgado não apenas nas revistas e programas de TV, mas, também, intrínseco na cabeça de cada um (consequência desta exposição absurda de padrões, muitas vezes fabricados). Mesmo que esta regra exista, acredito que ninguém deve procurá-la. Que graça teria um mundo somente de Giseles e Raquels? Se fosse assim, nem a Gisele Bündchen, nem a Raquel Zimmermann seriam interessantes.

Para mim, beleza não tem padrão. Cada um tem uma visão do que é belo, uma percepção diferente, e é isso que torna cada ser humano interessante. Vou encerrar deixando um conselho: sinta-se bem com o que você é, mesmo que não consiga alcançar os impossíveis estereótipos. Você se torna ainda mais bela aos olhos dos outros quando se mostra confiante.

3 Respostas para “O polêmico comercial da Marisa”

  1. Maira Aguilar

    Bom, não acho nada de mais também, o problema começa porque colocam mulheres magras, daí as pessoas mais gordinhas ficam logo achando que é preconceito, mas qualquer um poderia ter perdido peso e estar se sentindo bem para o verão…

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Comportamento / Moda'