Esta foi a primeira vez que a gente viu um desfile de Victor Dzenk no Expominas. O estilista é acostumado a levar seus convidados para locações diferenciadas e incríveis, como o Automóvel Clube, a Casa Bernardi e o Parque das Mangabeiras. Mas, mesmo apresentando sua coleção em uma passarela sem intervenções, o estilista trouxe para seu fashion show uma pitada teatral, que logo no começo sinalizou sua inspiração para a estação.

A top Vivi Orth abriu o desfile usando adereços típicos do universo árabe e um vestido branco, com detalhes que remetem a esta cultura. Já no decorrer do desfile este perfume étnico foi retratado mais na estamparia do que na modelagem e adereços.


Batizada de Le Voyage, a coleção propõe interessantes contrates entre o antigo e o moderno, o tradicional e o contemporâneo. A riqueza dos looks fica por conta dos tecidos e acabamentos. E, claro, das várias estampas, que são o carro-chefe da marca.

Para trazer vivacidade ao inverno, Dzenk investiu em nove prints exclusivos! É muita coisa, hein? A arquitetura, os objetos desta cultura, mosaicos, arabescos e marchetaria inspiram os desenhos. Destaque também para a estampa de Cashmere e para o print com asas de coruja.

Os acessórios também merecem atenção especial. Eles trazem ossos, madrepérolas, pedrarias e pingentes franjados. Os maxi brincos e braceletes em acrílico, metal e cristais foram desenvolvidos pela Aramez. Já as clutches, em cetim texturizado, são resultado de uma parceria entre o estilista e a grife mineira Junia Gomes.


Crédito fotos: Agência Fotosite

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Minas Trend / Moda'