Está em cartaz, até dia 5 de setembro, no Cine Humberto Mauro, uma mostra que homenageia os filmes de Alfred Hitchock, conhecido por suas geniais histórias de suspense. Os amantes da sétima arte podem conferir clássicos dirigidos por ele, como Janela Indiscreta, Disque M Para Matar, Psicose e Os Pássaros. Além de se distrair, quem quiser aprender mais sobre a filmografia do famoso diretor  inglês também pode conferir palestras e cursos gratuitos.

Aposto que você ficou curiosa para saber porque está lendo uma matéria de cinema em um site de moda? Já explicamos: Hitchcock era super ligado no assunto. Afinal, a moda também anda de mãos dadas com o cinema. “A leitura que o espectador faz da personagem, a princípio, está ligada a aparência da roupa e a forma como ele realiza seu trabalho. O personagem é expresso pelo corpo do ator e o papel da moda nisso é central”, explica a pesquisadora Carla Mendonça.

Hitchcock entendia que o figurino era primordial para uma boa história ser contada porque tem o papel de mostrar quem o personagem é, o que pensa ou sente. Suas musas foram as mais elegantes de seu tempo. Não foi por acaso que Grace Kelly era uma delas. Carla ainda afirma que “o figurino sempre foi questão central nas obras do diretor. Por isso as divas se vestiam com as principais tendências dos anos 50: o New Look, de Christian Dior, ou tailleur com saia lápis”.

E como prova de que o visual criado pelo diretor para construir suas heroínas é eterno, até hoje a moda é influenciada por suas obras. Prova disso é a coleção apresentada por Tufi Duek no São Paulo Fashion Week, durante a temporada inverno 2013. O tema? O filme Os Pássaros, de 1963. Vestidos pretos, retos, na altura do joelho e muitas plumas ganharam destaque na passarela. Elegância para as admiradoras de cinema e amantes da moda.

Outra grife que também “bebeu das águas” de Hitchcock foi a Chanel. Em 2012 a maison desenvolveu uma coleção de esmaltes baseada em 3 filmes icônicos. O longa Frenesi inspirou o “Frenzy”, que é um tom de nude-acinzentado. Já “Um corpo que cai”, originalmente chamado de Vertigo, serviu de ponto de partida para a tonalidade que leva o mesmo nome e virou um preto com partículas vermelhas peroladas. Por fim, o Suspeita, um romance com traços de suspense, que originou a cor “Suspicious”, um fúcsia incrível.

Viu como faz sentido falar de cinema aqui no Fashionistando? Uma boa história não é contada sem um figurino bem pensado e, como afirma Carla Mendonça, “Hitchcock é tendência!”. Não há dúvidas que outras coleções ainda irão aparecer por aí, inspiradas em características do trabalho deste incomparável cineasta. Só basta aguardar!

Se você ficou curiosa para ver essas produções na telona, basta acessar o site do Cine Humberto Mauro para ver a programação completa da mostra, que está imperdível. Depois de escolher qual filme assistir, elabore um figurino elegante e seja diva também!

Mostra Hitchcock é o Cinema
Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes
Av. Afonso Pena, 1.537 – Centro | Belo Horizonte
Até 5 de setembro de 2013
Acesso gratuito
Informações: (31) 3236-7400
www.fcs.mg.gov.br

Uma Resposta para “Hitchcock e a Moda”

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Cultura / Radar'