Se você acha que as elegantes caixinhas vermelhas Cartier carregam apenas valiosos relógios, sinto dizer que está enganado. A marca francesa encanta personalidades de todo o mundo desde 1847 e desenvolve joias que fazem parte do patrimônio de muitos monarcas. Ela é perita em desenvolver alianças, braceletes e tudo mais que a imaginação pedir e o bolso puder bancar.

Para celebrar tamanha importância, foi organizada no Grand Palais, em Paris, a exposição “Cartier: le style et l’histoire”, que conta a trajetória da grife desde seu nascimento até a década de 1970. Quem visitar a mostra poderá ver, além das mais imponentes joias de luxo, acessórios femininos, móveis e pinturas. Também estão em cartaz fotos publicitárias, de moda e documentos que retratam como acontece o processo criativo dos ourives da joalheria.

Segundo os curadores da exposição, o principal desafio durante o processo de escolha das peças que seriam apresentadas ao público, foi revelar os códigos sociais sob o prisma das criações da marca. Personalidades históricas que um dia usaram as criações da Cartier também foram lembradas. Entre elas, destaque para as atrizes Marlene Dietrich, Elisabeth Taylor e Maria Félix, além de peças que pertencem ao acervo pessoal da Família Real Inglesa. Coisa de gente nobre mesmo, hein?

Mas, a história de uma marca não é grandiosa a ponto de merecer uma exposição levando-se em conta apenas o tempo da empresa no mercado. A joalheria Cartier produziu inovações e peças icônicas ao longo de sua trajetória. Uma revolução trazida pelos designers da marca foi a colocação de um relógio em uma pulseira de couro, dando vida ao relógio de pulso em 1904. Fato histórico e que mudou a maneira como o mundo vê as horas!

E a empenhada equipe não parou por aí e continuou realizando feitos grandiosos. É atribuída a maison a descoberta de que a platina é mais duradoura que o ouro branco, nascendo assim as primeiras alianças de casamento fabricadas com o valioso metal. Também é obra da grife a lapidação baguete para diamantes, que dá às gemas a forma moderna de um retângulo. Já em 2001, a Cartier produziu a linha Meli Melo, elaborada com as pedras brasileiras água-marinha e granada laranja, admiradas em todo o mundo.

Em 2012 a joalheria completou 165 anos de puro glamour. Para celebrar a data, o vídeo L’Odyssée de Cartier (A Odisséia de Cartier) foi produzido esbanjando tecnologia para mostrar um pouco dessa rica história da famosa empresa. Se você não pode ir à exposição de Cartier, consegue sentir a sofisticação da marca dando o play no vídeo, que conta até com a “participação” do brasileiro Santos Dumont sobrevoando Paris. Garanto que não vai se arrepender!

Cartier: le style et l’histoire
Até 16.02.14
Grand Palais – Salon d’honneur
3 Avenue du Général Eisenhower, Paris 8
Visite o site da exposição!

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Cultura / Radar'