E a grife, que acaba de completar dois anos, desenvolve um trabalho autoral e cheia de personalidade. Mas, em que momento Bhárbara percebeu que queria criar estas peças diferenciadas? “No curso de artes plásticas aprendemos a liberar o que tem dentro da gente e esta formação me ajudou a identificar meu estilo”, diz. “O objetivo é que eu consiga fazer alguma coisa com minha cara, que seja o que eu quero fazer. Se for para copiar, não faz nenhum sentido”, complementa.

“Quando criei a Jardin, juntei meu gosto pessoal com a vontade de exercer a criatividade. Acho interessante ter um processo de pesquisa, um conceito por trás das peças, somente assim podemos desenvolver criações únicas. Eu acredito que para fazer roupa precisa ser desta forma”, declara. “Quem não tem um tema de coleção pode até ter algumas ideias na cabeça, mas certamente elas não serão coerentes. Sei que existe mercado para esta outra maneira, mas não é o que eu acredito nem, o que eu gostaria de fazer”, finaliza.

Croquis da coleção verão 2013

Como estão as expectativas para a estreia na passarela do Minas Trend Preview? “Super positivas. Não esperava que eu fosse conseguir entrar nesta edição. Foi uma surpresa e, ao mesmo tempo, uma correria. Toda coleção é um desafio, porque estamos sempre começando do zero”, conta Bhárbara.

E qual o tema que norteou sua coleção? “O concretismo. Este é o movimento de artes plásticas brasileiro que eu mais gosto. Há muito tempo eu já queria fazer uma coleção com esta temática. Mas, neste mercado, tudo precisa casar e nesta temporada percebi que era o momento de explorar este movimento artístico”, diz entusiasmada.

Como este tema foi explorado? “Eu amo o modernismo e ele tem tudo a ver com a identidade da Jardin. Nesta coleção explorei a geometria, que eu sempre trabalhei muito, em sua forma pura. Também usei recortes, dobraduras e pregas. Vale ressaltar o mix de diferentes tecidos e texturas na mesma peça”.

Qual o diferencial desta coleção? “Pela primeira vez estou fazendo uma coleção bem colorida. Usei um verde bem cítrico, o azul celeste e o rosa chicletes. Tons pastel, como o rosa, nude e azul, também aparecem nas peças”.

Com stylist assinado por Rodrigo Cezário e trilha criada por Cristian Tunes, especialista em criar ritmos para espetáculos e balés, a Jardin se apresenta hoje, às 19h, no Minas Trend Preview.

Uma Resposta para “Entrevista: Bhárbara Renault #2”

  1. Regina Rezende Ezequiel

    Parabéns Bharbara. è gratificante ver uma pessoa tão jovem ganhando espaço em um mercado extremamente competitivo com criações tão belas. Que Deus continue a iluminar o seu caminho fazendo com que, cada vez mais, cresça e tenha muito sucesso.

    Gostaria de saber onde encontrar as ropuas da sua marca em Belo Horizonte. Quero adquiri-las. São de muito bom gosto.

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Entrevistas / Radar'