Faltam apenas 10 meses para a Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014. E já que a venda dos ingressos começa a partir do dia 20 de agosto, às 7h (horário de Brasília), é hora de dar o start no planejamento de suas viagens pelo nosso país.

E como nem só de futebol vivem os turistas, o “Fashionistando no Ar” começa hoje uma série especial, que certamente irá ajudar você a descobrir os melhores lugares em cada cidade-sede do mundial. Além de passeios tradicionais, a gente também revela alguns segredos, que só quem vivencia estas cidades conhece.

Que tal começar por Belo Horizonte? Por aqui, Ronaldo Fraga conta qual é sua cafeteria favorita. Já César Menotti e Fabiano revelam um restaurante charmoso, que serve o melhor da comida mineira. Mary Figueiredo, da Mary Design, também trouxe a tona uma dica imperdível: a Cum Panio, na Serra.

E o cantor e compositor Lô Borges fala um pouco sobre Santa Tereza, bairro reduto do Clube da Esquina.  O artista plástico Rogério Fernandes destaca sua admiração pelo Parque Municipal. Henrique Gilberto, chef do Belo Comidaria, indica uma visita ao Mercado Central. Por fim, Lu Ferreira, do Chata de Galocha, também compartilha um achado: o melhor bolo de chocolate de BH.

O resumo? O programa está imperdível! Papel e caneta na mão e dê o play para anotar todas as dicas!

Este programa será exibido em todos os voos da Azul Linhas Aéreas durante o mês de agosto.

Ludmilla Rangel usa DressTo

Assista também:

[Gramado e Canela] Dicas para curtir o inverno na Serra Gaúcha
[Rio de Janeiro] Lifestyle carioca
[São Paulo] Noivas na capital paulista
[Belo Horizonte] Descubra a badalada Feira Hippie

11 Respostas para “Copa do Mundo: O que fazer em Belo Horizonte?”

  1. Carlos Cícero Nacif

    Fujam de BH. Aqui nao tem nada disso. Cidade atrasada, parou no tempo e no espaco. Faz uma forca danada para ser a terceira ou a quarta cidade do Brasil. Pixadores que nao acabam mais, emporcalham a cidade, e só dar uma volta pelo centro que os turistas vão ver a porcaria que estão esperando por eles.
    Fujam daqui, vão para Sao Paulo ou Rio que certamente tem mais o que fazer.

  2. Eu amo a minha cidade, tenho orgulho de ser mineira e de ter nascido e morado minha vida toda em BH, e posso falar, não troco por nada! Aqui é tranquilo, “todo” mundo se conhece e se respeita! Violência, vandalismo existe em qualquer lugar, mas sem dúvida, não existe lugar no mundo tão acolhedor e aconchegante como BH!

    O Fashionistando mais uma vez está de parabéns pelos programas, mas sem dúvidas este foi o melhor até agora! SUCESSO!!!

  3. Ronaldo Batista

    Acho que Belo Horizonte poderia ser muito atraente se houvesse mais empenho por parte das autoridades em coibir certos abusos que enfeiam a cidade. A praça sete em pleno centro da cidade se tornou um lugar comum para desocupados se drogarem, principalmente o quarteirão fechado da rua Rio de Janeiro entre Afonso Pena e Tamoios e ninguém faz nada sinto até vergonha de passar por ali. Andar pelo centro da cidade dá a impressão que a gente está dentro de uma lata de lixo.

  4. Márcio Silva

    BH realmente parou no tempo e no espaço (anos 1960).

    Suja, feia, pixada, motoristas agressivos, pouquíssimas opções de lazer saudável (praças e parques – e shoppings lotados por isso), poucas áreas verdes, sufocantemente quente de noite (excesso de concreto e asfalto), economia emperrada (avessa a novidades, um povo muito desconfiado, arredio, mole, acomodado e mão-de-vaca), gente mal-educada (grosseiros, de pouco papo e falam muito alto) e muito feia (parece parada de retirante da seca), calçadas e ruas esburacadas e mal sinalizadas, população pouco amistosa (cara fechada e não cumprimentam as pessoas) e nada hospitaleira com “os de fora” (têm sempre uma frase de desprezo bairrista e ódio por quem vem de fora e sua cidade ou região natal – seja de onde vier, sem o menor motivo para isso), cheia de bares (onde a única diversão dos locais é encher a cara de álcool e comer porcarias caras e gordurosas), trânsito péssimo, criminalidade rampante, etc.

    E depois, ainda acham que não há lugar melhor do que BH (comparando com a metade pobre de MG, donde vem grande parte dos migrantes que aqui vivem, deve ser mesmo…). Só o belo-horizontino gosta de BH. Quebram a cara quando visitam povos de cidades menores mas mais civilizadas ao sul da Serra do Curral e a oeste da Serra do Rola-Moça…

      • Márcio Silva

        Poucos nativos concordam comigo – nenhuma surpresa. Muitos nunca moraram em outros lugares e desconfiam que a vida se limita à região metropolitana de BH e ao litoral do ES.

        Visitar BH é ótimo; viver em BH, nem tanto. Precisa melhorar muito.

        Há lugares piores. Mas também há coisas muito boas em BH: o Mercado Central, andar pela cidade aos domingos, boas livrarias, o Parque das Mangabeiras, remar no Parque Municipal, a Praça da Liberdade e a de S. Tereza (além da de S. Efigênia), alguns edifícios e igrejas bonitos, o Palácio das Artes e suas apresentações de música clássica, algumas pessoas gentis, alguns bairros bonitos e agradáveis…

        O problema é que o que é bom em BH é pouco. E o que é ruim abunda (como na maioria das grandes cidades brasileiras). Nesse ponto, a cidade é incrível: não consigo crer que uma cidade desse tamanho tenha tão poucas opções de coisas boas. Um problema mais brasileiro do que local. Não se ofenda. SP e RJ, no quesito “coisas ruins”, são até piores do que BH.

        Desculpe se minhas referências são New York, Paris, Buenos Aires, Roma, e não os vales de pobreza existentes em regiões de MG ou do resto do Brasil. Não dá para aceitar o medíocre depois de conhecer e viver na excelência. Como fashionista, você sabe do que estou dizendo.

        Saudações!

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Tv / TV Azul no Ar'