Um dia desses um amigo me chamou de xenomaníaca. Minha primeira reação foi a mesma que você teve: “Que nome feio! O que é isso?”. Aí ele foi explicar que, segundo o dicionário Aurélio, xenomania é a paixão pelo estrangeiro, fanatismo por viagens, uma curiosidade intensa por conhecer outras culturas, lugares e povos. Depois desta explicação, encarei essa palavra feia como um adjetivo, um elogio mesmo. Agora, adoro falar que sou uma xenomaníaca!

E a última viagem que tive a oportunidade de realizar foi à Paris. Um pouco clichê, né? Mas, a capital francesa está na lista dos 50 lugares que devemos conhecer, sendo assim, precisava resolver isso logo. Afinal, a lista é bem grande e o tempo passa rápido. E foi uma deliciosa experiência. Paris é tudo que todo mundo fala, e ainda mais. A cidade luz é realmente incrível quando anoitece (no verão você só vê a Torre acesa mais ou menos às 22h30) e durante o dia ela exala história, sofisticação, charme e bom gosto.

A viagem pra lá precisa começar muito antes da gente aterrissar no Charles De Gaulle. Paris oferece uma lista interminável de atrações incríveis! São diversos museus, jardins, shows, lojas e mais um tanto de coisas que precisam ser pesquisadas antes de chegarmos lá. O bacana é tentar fazer um roteiro que abrace ao máximo a cidade, sempre valorizando os passeios feitos a pé.

A primeira sugestão é: perca horas e até noites de sono no blog Conexão Paris. Comandado pela mineira Maria Lina, que vive há quase 30 anos na cidade, lá podemos encontrar informações interessantes e exclusivas sobre a capital francesa. São dicas que fazem a gente querer chegar logo por lá, como onde encontrar um vinhedo dentro de Paris ou qual o melhor pain au chocolat.

Ficamos hospedados em um bairro relativamente novo, chamado Bercy. Era por lá que no final do século XIX o vinho produzido na França chegava à capital. Um lugar super charmoso, um pouco longe dos pontos turísticos, mas que proporciona um passeio delicioso. Além de uma boa caminhada no parque, que tem cerca de 13 hectares, você também poderá visitar o Bercy Village, um shopping a céu aberto com restaurantes tradicionais e lojas ótimas! O bairro ainda recebe várias linhas de metrô, o que possibilita um rápido deslocamento para outras regiões da cidade.

O primeiro passeio que fiz e, sem dúvidas, o mais inesquecível, foi à Versalhes. Quando estiver criando seu roteiro, não deixe de incluir esta região! Mas, por favor, não fique restrito a visita ao Château e aos jardins do castelo. Tente se organizar para ficar um dia inteiro e aproveitar para conhecer as ruas de Versalhes, cidade que foi um dos berços da Revolução Francesa.

Outra dica imperdível é uma caminhada pela região de Montmartre. É lá que fica a famosa Sacré-Coeur, uma das igrejas mais bonitas de Paris. Também é onde está instalado um dos cabarés mais famosos do mundo, o Moulin Rouge, que foi inaugurado há mais de 100 anos. Um dos passeios mais fascinantes na região é pela Rue des Abbesses, um cantinho charmoso, com cafés convidativos (observe que as cadeiras sempre ficam viradas para a rua) e ótimas lojas, muito caras, mas com peças lindas. Enquanto caminha por ela, não resista aos encantos da sorveteria Amorino, uma legítima gelateria italiano que conquistou Paris não só pelo sabor, mas pela apresentação: o sorvete é servido em forma de rosa na casquinha.

No dia seguinte, escolha passear pela Ile de Saint-Louis, uma das regiões mais caras e bonitas de Paris. Além da vista deslumbrante, você também vai se apaixonar pela La Cure Gourmande, uma loja de biscoitos e doces que mais parece uma casa de bonecas. Logo depois, é a hora de experimentar o sorvete mais famoso da França: o Berthillon. Além da casa tradicional, fundada em 1954, você ainda encontra o crème glacée em diversas lojinhas autorizadas. Se você for à Paris no verão, certamente irá encontrar uma grande fila em todos os lugares que revendem Berthillon, mas, o sorvete vale a espera.

E caminhe sempre. Paris é um lugar para se descobrir a pé. Observando cada prédio, cada ruela, cada detalhe. Quando cansar da caminhada, não hesite em parar em um dos vários jardins da cidade. Se você estiver por lá no verão, verá muitos parisienses nas espreguiçadeiras, aproveitando o sol. Faça como eles, mas nunca deixe de observar. O meu favorito foi o Jardin des Tuileries, que liga o Musée du Louvre a Place de la Concorde.

Paris é assim. Cheia de surpresas inesquecíveis. Você não precisa ficar limitado a Torre Eiffel, a Champs-Élysées, ao Museu do Louvre e a Galeria Lafayette. É certo que esses passeios são obrigatórios e todo mundo precisa fazer. Mas, aproveite os outros dias para descobrir a sua Paris. Para se encantar com a beleza e imponência da Ópera, ou com a ponte dos cadeados, cheia de juras de amor. Também faça um passeio de Bateaux Mouches pelo Rio Sena e veja o entardecer de Paris. A vista da Notre Dame, com o pôr-do-sol, é estonteante. E, claro, visite a Ladurée e experimente muitos macarons coloridos.

Créditos: vanillacakefashion.tumblr.com | exhaused.deviantart.com | Fabíola Paiva

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Roteiros / Turista'