Carnaval, Carnaval, eu fico triste… Mas, quando o feriado termina, eu fico mais ainda! Num mundo justo, seria feriado prolongado nos 360 dias do ano e os outros cinco seriam dias úteis. Feriado prolongado é igual a respeito: é bom e eu gosto. O problema é que agora começa aquela fase chata da vida, entre o Carnaval e o Natal.

O Carnaval, para mim, é um pretexto para o descanso. Passei os dias sem ziriguiduns, pandeiros, serpentinas ou confetes. Atrás do trio elétrico só não vai quem tá a fim de aproveitar o feriado para recompor as energias e ficar em casa numa boa. Existem dois tipos de pessoas nessa época do ano: as que caem na folia e as que caem na cama. E eu faço parte desse segundo grupo. Os meninos do KLB também não desfilaram esse ano porque a vida ainda não devolveu as fantasias deles.

Sou um tipo de foliã não praticante. De gente bêbada na minha vida já basta eu. Não sou fã de muvucas, gente suada, nada disso. Já se passaram tantos carnavais e eu ainda não descobri se o Zezé é. E nunca entendi os desfiles das Escolas de Samba também. A porta-bandeira só tem a função de carregar uma bandeira e o jurado dá 9,9 pontos pra ela? O que teria que fazer pra conseguir um 10? Voar?

Não dá pra levar a sério uma apuração que não tenha como jurados Aracy de Almeida, Décio Piccinini, Flor, Pedro de Lara e Sérgio Mallandro. Vila Isabel é Campeã do Carnaval do Rio e sabe o que isso significa? Também não sei. E a Mangueira só perderia no quesito piada idiota se existisse uma Escola chamada Unidos do Pavê.

A verdade é que precisamos assumir: o momento mais emocionante do Carnaval não teve nada a ver com os repiques brasileiros. O ápice do feriado foi a renúncia do Papa. Pensando bem, ele só fez o que a maioria das pessoas tem vontade de fazer, mas não faz para não perder o benefício do FGTS.

Acho que o nome do próximo Papa virá na latinha de Coca-Cola Zero. Faço piada, mas entendo o Papa ter renunciado. Eu também me demitiria se meu chefe nunca aparecesse. Se o salário for bom, vou me candidatar para a vaga dele. Fico ótima vestida de branco ou vermelho. Adoro acessórios dourados, roupa bordada, pedras preciosas, broches e anéis. E farei tudo com muita elegância e glamour e, acima de tudo, sem aquela cara de criança que reseta o jogo quando tá perdendo.

11 Respostas para “Não entendo nada sobre o Carnaval”

  1. Assim como o gosto pelo carnaval não se explica, critérios adotados para as notas nos quesitos apurados em desfiles, também não se explica; se aceita.
    Há quem goste e viva pra isto.
    O melhor do carnaval ainda é o período de descanso. E como vale a pena!!!
    Que Bento XVI abra mão das responsabilidades e mordomias do papado; mas, eu não abro mão do meu descanso no carnaval. kkkk

  2. Texto super agradável, assim como os outros que fez Mari! Concordo a respeito do Carnaval, as vezes me pergunto mesmo se somos “obrigados” a conhecer e a gostar só porque somos brasileiros…
    Ah, e você seria uma papisa glamurosa! Certeza! rsrs
    Beijos e Parabéns!!

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Comportamento / Moda'