Tudo mudou no universo da moda quando a máquina de costura foi inventada. Só após o nascimento da “pequena notável” foi possível costurar várias peças de roupa em pouco tempo, com qualidade e segurança. E para lembrar essa importância, o shopping paulistano Frei Caneca organizou, em parceria com a Elgin, a exposição “A História Costurada”, onde serão exibidas máquinas de costura de diversas épocas. Ver as máquinas é um passeio interessante para as apaixonadas por moda e, também, pela história das roupas.

A invenção responsável pelo aumento das opções em nosso closet teve muitos criadores durante os séculos; um pensou, outro reformulou, mas a primeira máquina produzida em série nasceu em 1929, da cabeça de Barthélemy Thimmonier, alfaiate francês com ideias revolucionárias.

No começo, a novidade foi incompreendida. Com medo de ficarem sem trabalho, os alfaiates conterrâneos de Thimmonier convidaram uma multidão a destruir as máquinas já produzidas em praça pública. Só em 1845 a máquina foi realmente fabricada em larga escala, para nossa alegria.

Segundo Andréa Perini, Gerente de Marketing do Shopping Frei Caneca, “a costura conquista muitas pessoas até hoje”, um dos motivos para a elaboração da exposição. Ela ainda afirma que “o ofício de costurar deve ser visto como arte. Basta escolher o tecido, a modelagem e dar asas à imaginação”.

Andréa também conta que a escolha das peças expostas seguiu uma ordem cronológica: “na exposição é possível ver a primeira máquina produzida pela Elgin no Brasil. Tudo foi pensando para que os visitantes pudessem conferir que tradição e diversidade podem andar juntas”.

Luiz Henrique de Oliveira Virtuoso, gerente nacional de vendas da Elgin, entende que essa pequenina invenção de grandes proporções foi crucial para o desenvolvimento da indústria têxtil, mas também sabe que muitas pessoas recorrem a ela para deixar original aquela roupa favorita. “As pessoas querem customizar suas roupas e acessórios, por isso muitos jovens são atraídos pela arte de costurar. Alguns fazem graduação em moda, outros estudam corte e costura, para saberem manejar bem os equipamentos”. Para ele, todo esse interesse contribuiu para que as máquinas de costura permanecessem na casa e na vida de muitas pessoas.

Além de costurar, a invenção que revolucionou a indústria da moda também alinhava histórias. Um bom exemplo é a relação que Cecília Pedroso, 78 anos, tem com sua antiga máquina de costura. “Aprendi a coser com minha irmã e o primeiro presente que ganhei do meu marido foi uma máquina. Com ela fiz roupas para meus filhos e isso ajudava a economizar o dinheiro da casa”, relembra.

Se você ainda não ganhou sua máquina, não se preocupe. Juntamente com a exposição, acontece um concurso cultural onde os mais criativos podem garantir uma máquina novinha. Basta responder à pergunta: “se você tivesse uma máquina de costura nas mãos, o que faria?”. E então, alguma ideia? A mostra fica em cartaz até o dia 12 de maio.

2 Respostas para “A História Costurada: Exposição sobre Máquinas de Costura”

  1. ERNESTINA ALVES FERREIRA

    se eu tivesse uma maquina de costura na mão eu seria uma tremenda felizarda porque iria fazer maravilhas pois eu estaria fazendo o que mais amo fazer -Costurar.E que tal trocarmos uma maquina bem antiga que tenho, por uma atual? assim aumentaria o acervo dessa esposição fantastica

  2. ADORO MAQUINA DE COSTURA, QUANDO ERA CRIANÇA MINHA MÃE TINHA UMA MAQUINA SINGER, ELA SAIA DA MAQUINA PRA IR NA COZINHA E LA ESTAVA EU NA MÁQUINA TENTANDO COSTURAR ROUPA DE BONECA. COM O TEMPO APRENDI, FIZ CURSOS, COSTUREI E AINDA COSTURO ROUPAS PARA FILHOS E NETOS, AGORA BEM MENOS, POIS TRABALHO NUMA LOJA DE MÓVEIS QUE TAMBÉM VENDE MÁQUINA DE COSTURA ELGIN.AMANHÃ TEREMOS AULA DE CONHECIMENTO DE PRODUTOS NA EMPRESA, E EU VOU FALAR SOBRE A MAQ DE COSTURA ELGIN FUTURA, SE TIVEREM ALGUMA INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR SOBRE ELA , POR FAVOR ME ENVIEM. TRABALHO NA LOJA DE MÓVEIS CALDERAN EM BONITO MS.

Deixe uma Resposta

Mais sobre 'Cultura / Radar'